Processando

Lição Cearense Pede Estudo e Valentia Feminina

Nossa diretora de Marketing deu um depoimento sobre sua trajetória trilhada até hoje para Revista Distribuição, onde destaca os principais fatores responsáveis pela construção de sua carreira profissional, acompanhe:

 Sempre manter o foco e ter clareza, alimentar uma constante busca de conhecimento e seguir em frente, sem temor. São esses os ingredientes capazes de formar a base para a construção de uma carreira coerente, segundo Maria do Carmo Aragão Lopes, diretora de Marketing da Jotujé Distribuidora, com atuação no Ceará. Com formação superior em Informática, MBA em Marketing e pós-graduação em sistemas de informação, a executiva está há 27 anos na empresa fundada por três irmãos e pelo pai. Antes disso, trabalhava na área de Tecnologia do banco do Estado do Ceará e em outras companhias privadas. “Pedi ao banco estadual uma licença sem remuneração e vim ajudar os meninos para dar continuidade à implantação do processo de automação. O banco me chamou de volta, mas tomei a decisão com o coração, pensei na família e fiquei até hoje”, recorda. Desde que chegou à Jotujé, Maria do Carmo, atualmente com 55 anos, vestiu a camisa da empresa e participou de vários setores, onde contribuiu para implantação do planejamento estratégico, realizado em 2001, quando foi feita uma mudança estrutural na empresa, que definiu melhor os departamentos, como o de Marketing, para o qual a executiva foi designada. “Hoje, vários setores são subordinados à minha área: os de Trade, de Merchandising, de Comunicação e de Eventos, de Apoio às Vendas, do SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) e de Cobrança.” Apaixonada pela área de Informática, Maria do Carmo sente muito apreço em combinar estratégias de comunicação com processos tecnológicos que ajudam em muito a turbinar a comunicação. Para ela, o olhar feminino lhe possibilita exercer a ponderação, a observação cuidadosa do momento, e o bom desempenho de suas habilidades estratégicas, e saber quais são as melhores ocasiões para “falar e calar”.

 

– Revista Distribuição 

 

 

 

Confira outros artigos